Buscar
  • Excelência Energia

CMSE reduz teto de custos para despachos termelétricos adicionais


Em reunião extraordinária realizada dia 24 de fevereiro, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu que o ONS deverá maximizar o intercâmbio de energia elétrica para o subsistema Sul, respeitando os limites elétricos vigentes, ficando autorizado a realizar despacho térmico fora da ordem de mérito no subsistema Sudeste/Centro-Oeste, caso necessário, por usinas termelétricas que contribuam para essa maximização e indicadas em Instrução Operativa.


Também decidiu autorizar o ONS a despachar geração termelétrica fora da ordem de mérito no subsistema Sul e a realizar importação sem substituição a partir da Argentina ou do Uruguai, minimizando o custo operacional total do sistema elétrico e considerando as restrições operativas, desde que alocável no subsistema Sul considerando a Programação Diária da Operação, de forma a minimizar a geração hidrelétrica desse subsistema e visando recuperar seu armazenamento equivalente. Ambas as autorizações deverão observar os limites de até 8.000 MWmédios, em horizonte mensal, para a geração termelétrica total das usinas despachadas pelo ONS, já acrescidos dos montantes porventura importados, limitadas ambas as operações ao Custo Variável Unitário (CVU) de até R$ R$ 375,66/MWh. Essa decisão entrou em vigor na semana operativa, a se iniciar em 26 de fevereiro de 2022.


Isso se deve ao fato de que foi observada uma significativa melhora no panorama do sistema em função das chuvas verificadas, destacadamente nas bacias da região Sudeste/Centro-Oeste. Assim, o armazenamento equivalente do SIN alcançou patamar de 60,9% em 22 de fevereiro de 2022, representando ganhos na faixa entre 0,4 p.p. (pontos percentuais) e 5,8 p.p. entre o melhor e pior cenário prospectados no mês anterior, respectivamente, para o final de fevereiro.